Fechar busca

Digite o nome do produto

Digite o nome do produto e toque em Ir ou selecione um produto da lista.
R$ 0,00

Meu Carrinho

Indique amigos e ganhe R$ 40,00

Ao longo do passar dos anos, o mercado saudável vem se expandindo de maneira considerável – e não dá para dizer que essa informação é novidade, visto que tal tendência em ascensão foi prevista pelo Sebrae lá em 2018.

 

Em verdade, o mercado da alimentação saudável já era indicado como promissor desde 2015, mas na época era mais uma especulação, que em 2018 ganhou holofotes e em 2021, de fato, ocupou seu lugar ao sol – ou à sombra, com água, frutas, vegetais e legumes frescos.

 

O desenvolvimento do setor mercadológico saudável está intimamente atrelado a maior conscientização sobre saúde e bem-estar. E, bom, logo após uma pandemia exterminadora, no pior e mais doloroso sentido da palavra, a busca por uma alimentação completa e saudável é um dos maiores e mais potentes mecanismos de defesa adotado por muitos, e espontaneamente.

 

As tendências alimentares de 2021 se concretizaram?

Não só se concretizaram como mostraram ao mercado alimentício nacional e mundial que vieram para ficar.

 

Antes as pessoas viravam os olhos paras a famigeradas "comidas fitness", afinal esse era o século do fast food. A alimentação saudável era underground (subterrânea, de oposição, fora do padrão), e se existe algo que a história mundial nos ensinou é que, muitas vezes, aquilo que difere e foge do padrão comercial pode muito bem dar a volta por cima e cair nas graças da maioria.

 

Sem dúvidas a grande reviravolta do mercado saudável é uma dessas tendências hiperdimensionadas que se transformaram em estilo de vida.

 

Mas opa! Isso quer dizer que os bares e restaurantes que trabalham com outros tipos de alimentação que não a do mercado saudável têm dia, data e hora marcada para falir? De forma alguma. O bom da sociedade brasileira é seu pluralismo, e sua democracia até na gastronomia. Há espaço para todos, e é claro que os food services de todas as categorias também seguem sua jornada e, sinceramente, não se prevê ou se espera uma queda.

 

O mercado saudável e a alimentação limpa ligada a ele é muito mais do que comer, trata-se de uma agregação de valor ao consumidor e uma ambiência inovadora dos perfis de empreendedores alimentícios. Ou seja, o sucesso dessa tendência – que tende a se expandir ainda mais em 2022 – não é benéfico apenas para quem consome consciente, mas também para empreendedores que sabem se adaptar às mudanças que a sociedade, volta e meia, apresenta e cobra.

 

Ou você realmente acha que é por acaso que o mercado de marmitas com ofertas de alimentos saudáveis cresceu 130% nos últimos anos? Isso que estamos falando de uma pesquisa do Sebrae anterior à pandemia! Os empresários no ramo aumentaram, bem como os consumidores, e isso é ótimo para os dois lados da moeda.

 

Nós da Panelinha Fit não ficamos de fora da tendência do mercado saudável – que está mais para realidade –, e visamos o bem-estar de nossos consumidores por meio dos pratos que oferecemos e do meio ambiente que protegemos. E você, como tem cuidado de si mesmo ou de seus clientes? Que tal fazer seu primeiro pedido de muitos conosco e entender na prática o bem do mercado de alimentação saudável?

 

Lista de elementos que influenciam o mercado de alimentação saudável

 

Influenciadores do mercado saudável de 2022

É uma aposta, mas acreditamos que alguns fatores que foram os responsáveis por enraizar o mercado saudável em 2021 prometem se repetir em 2022. Esses são alguns deles:

 

Pandemia e crise econômica

Pode parecer ainda muito cedo, principalmente para aqueles que perderam entes queridos para o coronavírus, mas esse acontecimento mundial teve uma influência positiva e coletiva nos hábitos alimentares.

 

Podemos afirmar que desde o início do isolamento social até os dias atuais vivemos fases distintas da pandemia em que:

 

  • em um primeiro momento, e espalhado por todo o isolamento social, o consumo de bebidas alcoólicas cresceu cerca de 93,9% na quarentena;
  • o mercado dos foods services , os deliveries – ou dark kitchens, como têm sido chamados – também alcançaram um aumento exponencial que, inclusive, segue em alta mesmo após a liberação de circulação social;
  • o aumento no preço de alimentos básicos levou à busca por opções diferentes de alimentação – mais baratas –, e aí as verduras e legumes acabaram por chegar mais a mesa dos brasileiros, principalmente das populações menos afortunadas pelas desigualdades sociais;
  • a frequência no consumo de ultraprocessados também cresceu cerca de 79,6%, segundo a CNN Brasil Saúde, durante a pandemia;
  • uma certa conscientização por uma base ideal de alimentação adequada e saudável também tomou frente, e por isso o mercado saudável se destacou com os produtos in natura e minimamente processados.

De todo modo, ainda que o mercado saudável esteja sim em ascensão por conta da pandemia, os hábitos saudáveis também crescem por outro motivo nada feliz: a fome. A população brasileira enfrenta uma crise econômica profunda que dói no estômago das populações mais carentes, e querendo ou não a alimentação saudável fica mais "em conta", e sustenta.

 

Mas é importante saber: o mercado saudável gourmet existe, e por vezes é mais caro que o fast food.

 

De todo modo, uma dieta mais saudável e balanceada está em voga como padrão (e estilo de vida) para continuar em 2022. Seja pela saúde, seja pela escassez de recursos e alta no preço de alimentos fundamentais em cestas básicas.

 

Crescimento alarmante de obesos, alérgicos e intolerantes

Talvez pelo consumo exagerado de alimentos ultraprocessados, pelo abuso de bebidas alcoólicas, pela ausência de moderação com óleos, gorduras, sal e açúcar e, também por conta da vulnerabilidade imunológica que a pandemia despertou, o crescimento de obesos, alérgicos e intolerantes a lactose, glúten, etc., também teve um aumento.

 

Logo, uma forma natural e fácil de desviar desses males é, obviamente, o mercado in natura.

 

O vegetarianismo e veganismo vêm como forma de consumo instituída

E, inclusive, a alimentação plant based têm sido cada vez mais adotados por grandes redes e franquias pelo país e mundo todo. Hoje em dia não há mais espaço para locais alimentícios no mercado que não sejam, também, democráticos, e ofereçam opções veganas e vegetarianas.

 

Seja por conta da conscientização pós-pandêmica, pelo crescimento de doenças alérgicas e de intolerâncias ou tão somente pela adoção de um novo estilo de vida, não é nem possível chamarmos ambos de tendência, mas sim de opções disponíveis no cardápio que podem sim agradar a todos.

 

Relações de consumo mais cristalinas com o consumidor

Confessemos, passamos por muito, e por conta disso, a população brasileira tem procurado se informar cada vez mais. Informações nutricionais de rótulos alimentícios também entram nessa dança para escolhas alimentares mais conscientes.

 

Isso tornou-se tão imprescindível que, em outubro de 2020 a Anvisa (Agência Nacional da Vigilância Sanitária) estabeleceu que novas normas sobre rotulagem de informações nutricionais compreensíveis devem estar disponíveis aos consumidores. Essa resolução promete entrar em vigor em outubro de 2022, ou seja, até a legislação nacional tem focado no mercado saudável.

 

Para ter acesso à Instrução Normativa 75/2020 (a que citamos acima), basta clicar neste link da própria Anvisa sobre a rotulagem nutricional.

 

Comprometimento com meio ambiente

A educação ambiental e a alimentação saudável, claramente, assumem um papel importante tanto na preservação humana como também no desenvolvimento sustentável. Existem uma série de vantagens de adotar uma alimentação saudável para o meio ambiente, como:

 

  • a emissão de gases com efeito estufa poderia descer em 64% até 2050 com a redução do consumo animal;
  • a produção e o consumo sustentável preveniria a desflorestação – que a pecuária não seria o que importa mais;
  • a melhora na saúde coletiva é mais que provável;
  • haveria a possibilidade de favorecer a sobrevivência de espécies ameaças;
  • ocorreria a preservação de recursos hídricos;

Se você não é o mesmo do começo de 2021, porque seu padrão alimentar seria? E mais, por que ele não poderia, ainda, ser incrementado para 2022? O mercado saudável faz bem para você, para o seu bolso, para o meio ambiente, e se tudo funcionar bem, até para a economia do país. Seja um consumidor moderno com as opções da Panelinha Fit!